segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Resenha: Cidade do Fogo Celestial - Cassandra Clare

   CONTÊM SPOILER DO LIVRO ANTERIOR!

Imagem retirada da internet
Título Original: City of Heavenly Fire / Cidade do Fogo Celestial - Instrumentos Mortais #6
Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 532
Ano: 2014


Sinopse: Erchomai, Sebastian tinha dito. Estou chegando. A escuridão retornou ao universo dos Caçadores de Sombras. Conforme sua sociedade desmorona ao redor deles, Clary, Jace, Simon e seus amigos devem se juntar para lutarem contra o maior mal que os Nephilins já enfrentaram: o irmão de Clary. Nada no mundo pode derrotá-lo – devem eles ir a outro mundo para encontrar a resposta? Vidas serão perdidas, o amor será sacrificado, o mundo inteiro mudará no sexto e último volume da série Os Instrumentos Mortais!

Você já começa Cidade do fogo Celestial assim:

\ 

Eu sinto orgulho de dizer que li os livros da Cassandra Clare, ela fez uma evolução enorme na sua escrita, desde de Cidade dos ossos até esse livro. Um tipo de escrita que prende e faz teu coração praticamente saltar pela boca. O clima do último livro é muito intenso, já começa surpreendendo todo mundo e você não sabe o que esperar, porque tudo pode acontecer, a qualquer momento. Qualquer personagem pode morrer, tudo pode dar errado e nisso você devora o livro, sem nem perceber.
"Somos todos parte do que nos lembramos. Guardamos em nós as esperanças e os medos daqueles que nos amam. Contando que exista amor e lembrança, não existe perda de fato."
Eu tenho um sério problema de devorar os livros rápido demais por conta da ansiedade e quando eu menos vejo, já estou me despedindo em lágrimas de mais uma turma incrível de personagens. E foi assim que aconteceu comigo nesse livro. Cada personagem acaba nos ganhando com seu jeito de ser, desde protagonistas a personagens secundários. Meus personagens favoritos na trama são Jace, Simon e Magnus, pois me ganharam logo de cara. O avanço de cada personagem nos envolve e nos faz gostar mais ainda deles. 
“Porque o mundo não é dividido entre especiais e comuns. Todos têm potencial para serem extraordinários. Contanto que você tenha uma alma e livre-arbítrio, pode ser qualquer coisa, fazer qualquer coisa, escolher qualquer coisa.” 
Clary evolui muito desde o primeiro livro e o crescimento de sua maturidade e coragem, são indiscutíveis. Jace, sem nunca perder seu senso sarcástico de humor se tornou uma pessoa melhor, mais doce e mais aberta. Mas a principal evolução durante todos os livros que mais me admirou, foi a de Simon. De um mundano ingênio apaixonado, para um vampiro corajoso, destemido e ainda sim, apaixonado. De início eu não gostara de Alec, para mim ele não se encaixava naquela trama, mas com o passar do tempo, criei uma afeição por ele e por seu romance com Maguns, que alias, é um dos melhores casais da série kkkkk. Magnus é o tipo de personagem que ou você ama ou você ama, ele é um vagalume no meio do nada, chama a atenção de tudo e todos e mesmo assim, é uma ótima "pessoa" no final das contas, mesmo com tudo dizendo que não. Izzy sempre me ganhou, desde o começo por sua maneira de ser, uma mulher sem medo que lutava com unhas e dentes por aquilo que amava e mesmo assim, uma menina de coração frágil, que poucos conseguiam alcançar.

“Ela pensara uma vez que havia pessoas boas e ruins, que existia um lado de luz e um lado de escuridão, porém não pensava mais assim. Tinha visto o mal, no irmão e no pai, o mal de boas intenções que dera errado, e o mal de puro desejo de poder. No entanto também não havia segurança na bondade: a virtude poderia cortar como uma faca, e o fogo do Paraíso era ofuscante”
Uma das curiosidades que mais me encantou, foi a ligação da série peças infernais, com os últimos livros de instrumentos mortais , principalmente com esse. - Nós intercalamos com de TMI e TID, a partir da segunda trilogia, Então começamos com Cidade dos anjos caídos e lemos Anjo Mecânico, depois lemos Cidade das almas perdidas, depois Príncipe e Princesa mecânica, para ler por fim, Cidade do fogo Celestial - Eu não segui essa ordem, porque não tinha conhecimento dela, TDI são de grande apoio para alguns acontecimentos em TMI. Garanto que se você ler nessa ordem, tudo ficará mais claro, bem mais claro - E As peças infernais é uma trilogia incrível -

"Heróis nem sempre são os que vencem. Algumas vezes, são os que perdem. Mas eles continuam lutando, continuam voltando. Não desistem. É isso que faz deles heróis."

Como todos sabem, o grande vilão da trama é Sebastian. Um tipo de vilão que até nós leitores, duvidamos se ele será derrotado. Ele é inteligente, perigoso, ardiloso, impiedoso, ganancioso, egoísta, psicopata, maldoso, etc... Mas principalmente, ele é o tipo de vilão que ganha o leitor e mesmo inconscientemente acabamos nos afeiçoando a ele. A batalha final é muito complicada, pois nem a Clave está preparada para derrotar Sebastian, os únicos que podem tentar destruí-lo são Clary e Jace por o conhecerem da melhor forma. Mas isso também pode custar-lhes sua vida e felicidade. Será um combate sem tempo para desistir ou ao menos hesitar.

Bom, pessoal. Só tenho mais uma coisa a dizer: Leiam os livros da Cassandra, até sua lista de mercado, se puderem, porque deve ser incrível kkkkk. Seus livros são muito bons, de fato.

Por fim, o meu quote favorito da série:

"Livremente servimos, Porque livremente amamos,  

Conforme nosso arbítrio de amar ou não, Assim nos erguemos ou caímos."

 Ave atque vale! 
(Saudações e adeus)

Acompanhe outras resenhas do livros dela aqui: Resenhas

Também se encontra a venda na loja da nossa Parceira Clube Ludi
Instagram da Clube Ludi: Aqui
Nosso Instagram: Aqui








Nenhum comentário:

Postar um comentário